22 abril 2016

CIDADES DE PAPEL – John Green



 Sinopse: Em Cidades de papel, Quentin Jacobsen nutre uma paixão platônica pela vizinha e colega de escola Margo Roth Spiegelman desde a infância. Naquela época eles brincavam juntos e andavam de bicicleta pelo bairro, mas hoje ela é uma garota linda e popular na escola e ele é só mais um dos nerds de sua turma.Certa noite, Margo invade a vida de Quentin pela janela de seu quarto, com a cara pintada e vestida de ninja, convocando-o a fazer parte de um engenhoso plano de vingança. E ele, é claro, aceita. Assim que a noite de aventuras acaba e um novo dia se inicia, Q vai para a escola, esperançoso de que tudo mude depois daquela madrugada e ela decida se aproximar dele. No entanto, ela não aparece naquele dia, nem no outro, nem no seguinte.Quando descobre que o paradeiro dela é agora um mistério, Quentin logo encontra pistas deixadas por ela e começa a segui-las. Impelido em direção a um caminho tortuoso, quanto mais Q se aproxima de Margo, mais se distancia da imagem da garota que ele pensava que conhecia.

Olá pessoas! Estou apaixonada pela narrativa do John Green, sua narrativa é leve, objetiva e fluida me conquistou inteira e naturalmente, mesmo sendo um assunto tenso o autor consegue transmitir nas paginas de uma maneira bem tranquila.

Minha leitura de cidades de papel foi um pouco chata quase larguei o livro, mas isso não quer dizer que é um livro ruim é só que foi um pouco maçante e não me cativou completamente. Cidades de Papel apresenta o amor platônico que Quentin nutre por sua vizinha Margo. Os dois são vizinhos há anos, e apesar de terem sido amigos durante a infância, foram se afastando durante a adolescência. E agora, com a formatura no Ensino Médio tão próxima, ele se surpreende com essa garota mais uma vez.

Os personagens ‘secundários’ do livro estão entre os melhores-personagens-secundários-que-roubam-a-cena-nos-livros. Radar e Ben – os amigos inseparáveis de Q – são sagazes, inteligentes, adolescentes mesmo (sem aquela coisa chata de ser inteligente e só) e companheiros. Eles são parte fundamental do humor, da aventura e do mistério criado no livro. E fiquei uol! Com as tiradas do RadarLacey é a garota que completa o quarteto aventureiro – e embora eu não tenha gostado tanto dela no ínicio, ela realmente se tornou totalmente especial depois de tudo.

Quentin dispunha seu tempo entre estudar e suspirar pelos corredores por sua paixão secreta, Margo. Ele sabia que ela mal notava sua presença, mas sabia também que os populares da escola não o atormentavam tanto graças a proteção que sua amada exercia. Em uma noite, sem qualquer aviso, Margo bate na janela do quarto de Quentin e ordena que ele seja seu motorista e cúmplice naquela noite. Além de precisar usar o carro da mãe de Quentin, é claro… Mesmo estarrecido com a aparição, e sem entender porque ela o escolhera, Quentin passa a madrugada dando assistência a Margo.


E essa assistência envolve vingança, ressentimento e uma boa dose de criatividade. Margo bolou um plano que durante toda aquela madrugada eles iriam se vingar das pessoas que magoaram Margo nos últimos dias...

Talvez quem leia isso ache que o livro é só mais um sobre a cotidiana vida de adolescentes americanos.  O que eu achei mais tocante é como Quentin., Radar e Ben, trazem para fora questionamentos, reflexões e aprendizados sobre o fim do ensino médio, o medo que cerca a todos acerca da iniciação da vida adulta, as novas experiências e o final/começo dos ciclos em nossas vidas.

O livro tem um ritmo empolgante, e ficamos o tempo todo com o coração acelerado para saber a próxima descoberta. Apesar de ser uma busca sem qualquer ideia do resultado, nos divertimos com a evolução dos personagens.

O que eu não gostei foi o desfecho eu esperava algo diferente, sei lá. Sinceramente não engoli aquele final…

E vocês vão entender o que são as tais Cidades de Papel. E vão ficar impressionados com a explicação para isso, o que remete ao fim do livro, que me fez ficar impressionada com o quanto os personagens foram capazes de aprender (ou não).

Indico o livro para aqueles que buscam um romance com pitadas de mistério… É super divertido tentar descobrir o paradeiro da Margo, junto com Quentin, Ben e Radar! Narrativa impecável do queridíssimo John Green.

Beijos